Olá amigos,

O que mais temos ouvido falar nos últimos meses é do aumento da violência, mas o mais agravante de tudo isso é que os crimes mais violentos têm sido praticados por menores de 18 anos.
Concordo com os que apontam a falta de educação, policiamento nas comunidades carentes e em toda a periferia das grandes cidades como principal motivação para a entradas desses jovens no mundo do crime, mas lembro que também na classe média e até mesmo na alta classe da sociedade brasileira temos jovens delinquentes que comente barbáries porque sabem que estão protegidos pela legislação.
Infelizmente nossa sociedade não sabe se comportar quando se sente livres de multas, prisões, etc. Vejam alguns exemplos:

– Pedestres atravessam fora das faixas, passam enquanto o semáforo está aberto para os carros, etc. Por quê? Sabem que não serão multados por isso, não há nenhuma punição.

– Ciclistas também não respeitam as leis de trânsito pelo mesmo motivo dos pedestres.

– Lojas, supermercados e o comércio de uma forma geral precisaram colocar câmeras de segurança não só para registrar assaltos a mão armada, mas principalmente para ajudar a evitar pequenos furtos dentro de seus estabelecimentos.

Eu poderia citar milhares de exemplos aqui, mas não é necessário.
Quem me conhece sabe que sou um defensor da educação, acho o ensino público do estado e da cidade de São Paulo um lixo e sei que com uma educação de boa qualidade poderíamos mudar muita coisa nesse país.
Mas para educarmos toda uma sociedade a partir de agora levaríamos anos e não temos mais esse tempo.
Infelizmente a solução mais rápida para diminuição dessa violência, principalmente a praticada por adolescentes é a diminuição da maioridade penal. Porém, não sei se 16 anos será suficiente. Temo que o necessário seja baixar para 14 anos.
Só quando os adolescentes souberem que haverá punições severas a eles como para os demais infratores, eles se sentiram mais intimidados a desafiar as leis, as autoridades e a sociedade como um todo.

Abraços, Sam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *