Ao longo dos meus quase trinta anos de idade, paro e penso: Nada nesta vida que seja muito intenso é bom. Tudo precisa de um meio termo, uma segunda opinião, não importa qual foi o seu primeiro pensamento agora, o que esta frase fez você pensar neste momento.

Eu sempre achei que tivéssemos que ter um meio termo, mas em relação a fé, isto não precisava ser balanceada, isto tinha que ser cegamente, toda a sua vida ligada a isto (não importa qual a sua religião) e foi ai que me dei mal.

Antes eu tivesse um pouco de dúvidas, ou que eu questionasse um pouco mais antes de seguir tudo tão cegamente. Por que a partir do momento em que isto se destrói, você percebe que as coisas não são como você sempre acreditou pode ser que parte da sua vida desmorone, ou que ela toda caia por terra.

No meu caso, infelizmente foi a vida toda realmente, pois tive minha fé 100% abalada, e tudo o que eu acreditava ser correto e seguro se abalou. Assim me vi sem chão, sem futuro e totalmente desamparada. O que fazer se tudo o que eu achava de mais certo na vida eu nem tinha mais a certeza se realmente existia? Ai vem o grande problema. Como lidar com esta situação?

Minha primeira reação foi o desespero, fiquei sem rumo, sem saber o que pensar e como agir. Depois disso, quando me vi discutindo com Deus, tudo o que eu mais amava na vida, eu vi que não tinha mais o que fazer aqui, e com isto, veio à vontade do suicídio, e cada momento que se passava mais certeza eu tinha disto. Nada e nem ninguém conseguia tirar esta ideia dos meus pensamentos e claro, para a minha família, os mais próximos, a dificuldade de lidar comigo.

Todos os dias eu pensava em uma maneira de me matar, cheguei a fazer pesquisas de formas em que eu sentiria menos dor, que a morte fosse mais rápida, só um amor, que é pelo meu irmão, me fazia recuar um pouco.

Cheguei a um ponto em que quase aconteceu, mas felizmente consegui ajuda antes, e um médico deu a brilhante ideia de me internar. Aceitei, e vivi uma experiência inenarrável. Vi e aprendi muitas coisas neste hospital psiquiátrico que me acolheu, pensei e repensei muito sobre a vida. Já faz um tempo que sai de lá, onde passei mais ou menos vinte dias, mas as sequelas, cicatrizes que a vida tem deixado em mim, ainda doem e muito.

Muitas coisas ainda não consigo entender, mas uma coisa aprendi, não vivo nada tão intensamente mais, tudo procuro deixar na medida, nem muito nem pouco. Tomo meus medicamentos o mais correto possível, tento ter uma vida sociável, mas nem sempre é possível, pois quando tenho uma recaída, fico trancada em meu casulo, meu quarto, poucas pessoas conseguem ter acesso. Mas sabe, se você me encontrar na rua, dificilmente perceberá algo, pois engano bem e as pessoas nem percebem.

Costumo usar uma “maquiagem” que esconde bem todas estas cicatrizes, mas quando presto atenção, vejo que lá no fundo, a ferida ainda está bem aberta, e como dói. Se vai se fechar um dia? Não sei. Se vou superar totalmente tudo isto? Também não sei. Mas se posso dar um conselho? Não espere demais, não acredite demais, não viva na função de uma só escolha, por que se você perceber que aquela escolha não dará certo, pelo menos você terá um outro caminho a continuar trilhando, por que às vezes, quando você percebe que aquele caminho percorrido toda uma vida não tem continuação, até você desbravar um outro, seus braços podem estar cansados para derrubar arvores tão grandes para começar um novo caminho.

Sei que este pensamento, ficou um tanto triste, sei que algumas pessoas não irão gostar, outras podem se identificar, mas se você quiser conversar comigo, será sempre bem vindo e um prazer. Comente, de sua opinião.

Um grande beijo a todos, e até a próxima

Anissima de Paula

One thought on “Nada muito intenso é bom!

  1. “Vinde a Min todos os Que estão cansados e sobrecaregados e Eu vos aliviarei.” Mateus 11-28,30. Vi o seu comentario, e de fato achei meio triste, embora em alguns casos a tristeza seja cronica. Sobre a questão de ter uma vida equilibrada eu concordo com vc,mas as vezes pensar d+ so atrapalha! Aqui vai uma dica minha, pratique algum esporte ou pelo menos uma caminhada, ocupe a mente… Vc pode pensar q o que eu estou falando é cliche, talvez Seja, mas nao se cobre tanto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *