A justiça brasileira precisa ir a julgamento

Olá amigos,

 

Tenho me mantido mais quieto do que gostaria em relação aos atuais acontecimentos, até mesmo porque já são temas tão explorados pela mídia, mas chega um momento que precisamos falar e o julgamento do TSE nessa semana foi mais um daqueles momentos em que os magistrados olham para cara da sociedade e riem, como se estivem no mais cômico espetáculo já produzido.

Não havia como esperar outro resultado de uma corte presidenciada pelo Min. Gilmar Mendes que tem deixado muito claro sua opinião sobre o ministério público, a operação lava jato e tendo a oportunidade coloca detidos em liberdade (vide Eike Batista).

E assim fica claro que tendo bons advogados e amigos, pode-se fazer o que bem entender, porque ou te defendem em nome da governabilidade e da estabilidade econômica ou te colocam em prisão domiciliar para que os filhos não fiquem sozinhos como o caso da esposa de Sérgio Cabral.

Há ainda o caso do ex-companheiro de Luiza Brunet que foi condenado a um ano de detenção em regime aberto. Oi? Detenção em regime aberto eu conheço como LIBERDADE.

Querem voltar ao plenário do STF pela terceira vez a discussão se deve ou não prender um condenado em segunda instância e aí a pergunta não se cala em minha cabeça, qual condenado que não seja político ou os tenha como amigo, permanece solto após a primeira condenação? Ao contrário, muito antes de ser condenado, com o direito a presunção da inocência já fica detido em condições subhumanas.

Definitivamente a justiça não tem seguido a constituição onde diz que somos todos iguais perante a lei. Cada um é o que seu poder econômico e sua influência o torna diante da magistratura.

Mas não desistamos, continuemos lutando por dias melhores, para sempre.

 

Abraços, Sam.

Deixe uma resposta