Amor aos homossexuais

 

Olá amigos…  sei que nós vamos conversar sobre o assunto de hoje várias vezes por aqui, mas hoje eu senti a vontade de começar a compartilhar da minha história com vocês.

Muitas pessoas sabem que a pessoa que mais amo hoje em dia é homossexual. Meu irmão quem terminou de me criar e quem me deu o maior carinho da minha vida no momento mais difícil da mesma, mas chegou uma hora em que comecei a perceber que algumas pessoas tinham razão e teria de começar a conversar comigo mesma sobre aceitar que ele tinha uma condição sexual diferente. Não foi nada fácil, eu era novinha, venho de uma religião muito rígida e difícil.

Na época que tive que começar a enfrentar isto mais de frente eu tentava me lembrar  de qualquer coisa em que eu me convencesse de que eu estava errada, pensando besteira. Quantas vezes eu queria aprender alguma luta para bater nos meninos que mexiam com ele na rua, alguns até querendo agredi-lo. Mas com o passar do tempo, tive de enfrentar a realidade. Muitas pessoas queriam me contar coisas, queriam falar comigo sobre o assunto e eu não aceitava, pois sentia a necessidade de ir ao meu tempo, por mais que eu soubesse, tinha que ir digerindo a ideia aos poucos. Chegou um dia em que ele abriu o jogo comigo e conversamos abertamente sobre isto, doeu muito, não foi fácil. Na verdade, até hoje não é fácil, só aprendemos a administrar e a respeitar a vida de quem amamos. Hoje tenho a liberdade de falar a ele que se ele não fosse homossexual talvez eu fosse homofóbica, mas de certa forma, agradeço a vida por poder abrir meus olhos, me mostrar outro mundo e me dar oportunidade de conseguir entender tantas coisas como com o tempo venho tendo cada vez mais coisas boas para poder compartilhar.

Não nego que até agora ainda tem muita coisa que para mim é difícil, mas hoje em dia já consigo conversar sobre muitas coisas com ele, aceitar, trocamos muitas ideias, conheço muitas coisas e já até cheguei a sair com ele para bares GLS para poder conhecer um pouco mais do mundo que para ele é super importante e posso falar de todo o meu coração que foi uma boa experiência. Senti-me especial. Tinha um monte de homens, eles até me olhavam com certa curiosidade, uma moça alta de saltão, bem visível que é hétero, ali no mundo deles, sorrindo, conversando, curtindo, mas me senti tão privilegiada de ter sido escolhida para ter uma mente aberta e conseguir mostrar o meu amor e dar um pouco do meu apoio a este mundo que é tão difícil de viver, ao mesmo tempo em que eles vivem junto conosco, vivem em um mundo paralelo, onde dói quando vemos que eles estão com medo, por exemplo, de serem agredidos por pessoas que são tão ignorantes a ponto de não respeitar um ser humano.

Com o passar do tempo quero muito continuar conversando com vocês sobre minhas experiências e compartilhar muitas histórias, mas será um imenso prazer se vocês que tem dificuldades com alguém da família, amigos, enfim… ou que já superaram como eu estou fazendo agora, pudessem conversar comigo sobre isto. Será uma satisfação enorme.

Eu não sou, mas as pessoas que mais amo são homossexuais… então, parte do meu coração também tem as cores do arco íris, pois eles são extensão de mim.

Dividem comigo suas experiências… se acaso não quiserem se identificar, não tem problemas, só vamos papear.

Um grande beijo à todos, e até a próxima

Anissima de Paula

 

Deixe uma resposta